Breaking News
Loading...
segunda-feira, 15 de setembro de 2014

A tecnologia não é o fim, mas sim o meio a serviço do homem. Cabe aos cristãos discernir entre o bem e o mal, como escreveu Paulo em sua primeira carta aos Tessalonicenses "Examinai tudo. Retende o bem" (1 Ts. 5:21), e disse aos Corintios "Todas as coisas me são licitas, mas nem todas me convêm. Todas as coisas me são licitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma."(1 Co. 6:12). 
Mas alguns se deixam levar pela admiração da tecnologia e essa é o principal ingrediente da adoração. E começamos a nos curvar diante do que nos surpreende. Infelizmente, no mundo em que vivemos, há pouca gente que fica maravilhada diante do que Deus é e faz. Vivemos numa época quando alguns dos grandes mistérios e complexidades da vida foram "bem" explicados pela ciência. Testemunhamos o homem subir às montanhas do Himalaia, mergulhar nas profundezas do oceano e até andar na superfície da lua. Através dos documentários na televisão, assistimos coisas tais como a realização de uma cirurgia no cérebro e a erupção de vulcões. A ciência computadorizada nos forneceu processadores de dados, CD’s, mísseis, DVD's, robôs e muito mais. A multiplicação da ciência já era prevista em Daniel 12:4 e esse acontecimento é mais um sinal do fim dos tempos. Achamos que temos tudo mais ou menos sob nosso controle, tudo está classificado e identificado. E não percebemos que estamos adorando a deuses tecnológicos e científicos, esquecendo de adorar o verdadeiro Deus.

Passamos horas prostrados diante das invenções da ciência. Ficamos de boca aberta vendo uma "bomba inteligente" buscar um alvo tão pequeno quanto uma chaminé. Ficamos fascinados e atônitos em relação ao que o homem foi capaz de realizar, mas nem ligamos para o que Deus faz. Quando vemos uma cura, quando vemos um irmão falando em línguas e adorando a Deus verdadeiramente, ficamos nos perguntando será se isso é real e não percebemos que isso é obra do inimigo que anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar (1 Pedro 5:8).

A tecnologia tornou-se um ídolo. Na mente de muita gente ela é a realidade suprema (Pai), a realidade que ilumina (Espírito) e a realidade que redime (Filho). É claro que sabemos que o pecador perdido está cego espiritualmente e seu coração está em trevas, de modo que não pode perceber as coisas de Deus. Mesmo assim fica o fato de que as coisas mais espantosas que os homens já puderam ver são aquelas que pertencem ao Deus eterno, pois Ele é "Aquele que só faz maravilhas". Salmo 136:4. "A sua glória está sobre a terra e o céu". Salmo 148:13. Quando um crente adora, ele fica numa atitude de admiração santa (isto mesmo, ele se prostra) diante de Deus – sabendo que neste momento ele vê o que é invisível, conhece o que é desconhecido, compreende o incompreensível e sente o que é eterno. Ao ficar atônito, fascinado, surpreendido, às vezes até completamente dominado, com tanta admiração, o crente aquece a alma na glória de Deus.

As maravilhas de Deus induzem a nossa adoração, já tecnologia, quando mal empregada, nos induz a perdição.

0 comentários:

Postar um comentário

Respeito é bom e todo mundo gosta. Caso os comentários sejam ofensivos ou se desviem do assunto, os moderadores tem todo o direito de removê-los.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.