Os melhores filmes sobre a guerra

 

Lembro-me de uma cena do icônico filme Hora do Rush em que Jackie Chan canta para o personagem do Chris Tucker, uma letra bem intrigante: "Pra que serve a guerra? Não serve pra nada". 

A música, de fato, existe (obviamente, fora adaptada na tradução e dublagem), e se chama What Is It Good For.

Guerras sempre foram eventos cruéis que acarretam na perda da vida de milhares. A Segunda Guerra Mundial, é com toda a certeza, uma das guerras mais memoráveis da História, e uma das que mais fora contada e recontada na cinematografia. 

Hoje, venho com uma lista singela de alguns filmes que vi, que considero, em minha opinião, os melhores filmes sobre a guerra. Lembrando que é uma lista pessoal e você pode discordar e deixar as suas sugestões nos comentários de filmes sobre a guerra que gostou. 


Até O Último Homem


Nome original: Hacksaw Ridge.

Ano: 2016

Duração: 2h e 20m.

Direção: Mel Gibson.

Filme baseado na história real do soldado Desmond T. Ross, um rapaz muito religioso, que abomina violência, pois quando era criança, havia agredido seu irmão mais novo e quase o matou em uma brincadeira. Quando tornou-se adolescente, apontou uma arma para o pai bêbado que estava batendo em sua mãe. Diante desses acontecimentos, Desmond repugnou suas atitudes, e prometeu nunca tocar em armas ou deixar a raiva dominar seu coração. Ele, então, vai para o para o exército, onde acaba por sofrer diversas humilhações e coações por seus colegas que repelem sua postura em recusar-se a pegar em armas. Desmond serve como médico, pois o mesmo havia estudado um pouco, e vai para o fronte, durante a Segunda Guerra Mundial, mais precisamente na batalha de Okinawa que aconteceu contra os japoneses, e em todo o tempo, Desmond recusou-se a pegar em armas. Desmond salvou 75 homens, sempre a todo instante repetindo a si mesmo: "Senhor, permita-me salvar mais um". Foi condecorado com uma Medalha de Honra por seus feitos.


Dunkirk


Nome original: ---

Ano: 2017

Direção: 1h 46m.

Duração: Christopher Nolan.

Dunkirk foi uma experiência completamente diferente de assistir. Ele não é um filme sobre batalhas mirabolantes e gloriosas (como vistas em Pearl Habor), ou sobre soldados que orgulham-se dos seus feitos. Antes de tudo, ele é um filme frio, melancólico, sobre soldados que desejam, acima de tudo, retornar para casa, mesmo que isso signifique levar juntos a eles, traumas que nunca serão apagados de suas almas. O filme é dividido em três histórias, contadas em terra, mar e nos céus, e acredito que apesar dos poucos diálogos e ação quase inexistente é um filme que tem muito a acrescentar. Muitos não gostaram, mas como já dizia a minha mãe: "eu não sou todo mundo". Harry Styles também faz parte do elenco, provando que possa ter algum futuro na área de atuação.


O Regaste do Soldado Ryan


Nome original: Saving Private Ryan. 

Ano: 1998

Duração: 2h 50m.

Direção: Steven Spielberg. 

Um filme com uma trama bem simples, em que um grupo de soldados precisam encontrar Ryan, que está desaparecido, e mandá-lo de volta para casa. Muitas perdas e sacrifícios acontecem pelo caminho e creio que este filme mereça toda a fama que tem. Alguns o acham superestimado (certamente, opiniões errôneas de quem nunca o assistiu), mas para mim, sempre será um clássico.


O Pianista


Nome original: The Pianist.

Ano: 2002

Duração: 2h 30m.

Direção: Roman Polanski.

O filme conta a história real do músico polaco Władysław Szpilman, baseando-se em sua autobiografia. Pela ótica dele, vemos a dor, humilhação e miséria que os judeus sofreram pelas mãos dos nazistas. Szpilman sobreviveu a toda calamidade da Segunda Guerra Mundial, (foi separado de sua família, e nunca conseguiu reencontrá-los) onde viveu até aos 88 anos. Morreu dois anos antes do lançamento do filme que contava a sua história. É um filme que sempre me emociona e não importa quantas vezes eu vá assisti-lo, meu coração ficará esmiuçado.


Corações de Ferro 


Nome original: Fury.

Ano: 2014

Duração: 2h 15m

Direção: David Ayer.

Talvez o meu filme menos favorito de toda a lista (porventura por conta da participação do ator Shia Labeouf, que cá entre nós, acho-o um completo babaca). Conta a história do sargento Wardaddy, que mesmo com armas inferiores e escassas, leva sua tripulação de poucos homens para o fronte contra o exército alemão, com a intenção de alcançar a vitória, enquanto ensina ao novato, Norman, o que significa estar na guerra. O nome "Fury"(que seria o nome original do filme, "Fúria"), é por conta do apelido que deram ao M4 Sherman, um tanque de guerra.


O Menino do Pijama Listrado


Nome original: The Boy in the Striped Pyjamas. 

Ano: 2008

Duração: 1h 34m.

Direção: Mark Herman

Conta a história da doce e singela amizade entre duas crianças, que estão de lados separados da guerra, embora não saibam disso. É um filme que se passa durante a Segunda Guerra Mundial, e é visto pela ótica de duas crianças, Bruno, filho de um comandante nazista, que é agraciado pela boa vida, tendo brinquedos, família, e uma ótima casa, e Shmuel, um menino judeu que está aprisionado em um campo de concentração. A vida de ambos se entrelaça por um acaso, e para eles, tudo é uma grande brincadeira, um enorme "faz de conta", enquanto o mundo ao seu redor vira fogo e cinzas, mas são inocentes demais para perceberem a maldade que se esconde no coração dos adultos. A amizade dos dois é tão crível e palpável que somente nos resta entregar-nos às lágrimas com o desfecho final que ocorre aos meninos. Um filme belo, tocante e devastador que deve ser apreciado ao menos uma vez.


1917


Nome original: ---

Ano: 2019

Duração: 1h 59m.

Direção: Sam Mendes.

O filme narra a história de dois jovens soldados britânicos, que precisam ir do ponto A até o ponto B, com a urgente missão em entregar uma carta, alertando seus compatriotas sobre uma emboscada que em breve sofrerão se avançarem no fronte. Há o trágico momento em que um deles morre, enquanto o soldado que sobreviveu fica a mercê de extremos perigos. Sei que foi um resumo um tanto raso, mas é que este filme é muito mais do que os olhos podem vê, e meras palavras não podem descrever a experiência adquirida. Assistam! Assim como Dunkirk, é um filme quase sem diálogos, com momentos tensos e tristes. Com belas tomadas e fotografia impecável, fico triste por 1917 ter passado batido na cerimônia do Oscar.


Bônus:

Trago aqui duas animações japonesas que mostraram o outro lado da guerra.


Túmulo dos Vaga-lumes


Nome original: Hotaru No Haka.

Ano: 1988

Duração: 1h 33m

Direção: Isao Takahata. 

Acompanhamos a triste jornada de dois irmãos, que depois da perda terrível de sua mãe (terrível demasiado, a animação nos mostra o estado em que se encontra a mãe deles, com a pele queimada, agonizando, e logo após, para vermos sendo-a jogada em uma vala qualquer, como se fosse uma indigente), e são obrigados a conviverem na casa de uma parente, que no primeiro momento, muito parece amigável com eles, mas quando as coisas tornam-se difíceis, as humilhações logo aparecem, e os dois irmãos decidem viver por conta própria. É um filme triste demais. Preparem-se para as lágrimas e para o final nada ameno que vos aguarda.


In The Corner of The World


Nome original: Kono Sekai no Katasumi ni.

Ano: 2016

Duração: 2h 48m.

Direção: Sunao Katabuchi.

Vi algumas pessoas falando pouco ou quase nada sobre essa animação. Diferente do anterior citado, Kono Sekai opta por um caminho mais longo para traçar a história, e acabamos por criar uma espécie de laço invisível com os personagens, e torcer para que nada aconteça a eles, pois como bem sabe, o filme se passa durante a Segunda Guerra Mundial, e sobreviver durante uma guerra é quase um milagre.
O ano é 1944, e acompanhamos a vida da jovem Suzu, que está prestes a se casar e a morar com a sua nova família. Somos levados a ver o dia-a-dia da moça, testemunhamos seu crescimento e maturidade, até um dado momento em que a vida dela vira de cabeça para baixo. Spoiler: ela perde o braço devido a explosão de um míssil e nessa mesma tragédia, a filha da sua cunhada que ela tomava de conta, acaba morrendo. Suzu entra em depressão, não consegue mais achar-se útil para nada, até que ela consegue dar a volta por cima. Quando por fim a guerra acaba, com o Japão rendendo-se, o sentimento de derrota e vazio abala a sua família, pois vidas foram levadas incluindo o irmão de Suzu que morreu em combate, mas o momento que deveria ser triste foi estragado por uma piada sem graça, e nada as traria de volta. Enfim, é um filme muito bonito, com uma animação que remete à gravuras de livros infantis, embora o tema do filme não seja nada infantil. Existe uma grata surpresa no final, a chegada de uma menina pequena, que poderá servir como um bálsamo para uma família que foi estilhaçada pela guerra. Recomendo que assista.


Concluindo a postagem, essa foi a minha lista. Não quis alongar-me muito, pois creio que muito do que foi aqui citado, já deve ter sido visto por vocês. Caso haja algum erro, avise-me. É livre para discordar, concordar e sugerir-me mais filmes sobre o assunto. 


Até.



Por: Miss Medeiros.

Comentários

  1. Sinto saudades do tempo em que eu postava aqui... Foram bons tempos. Ainda penso em voltar, e fico feliz por ver que não tiraram meu nome da lista de colaboradores.
    Gostei bastante da lista e não sabia sobre esses dois animes.
    Fui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é livre para voltar quando quiser. Fez parte da família e ainda faz.

      Excluir
    2. Obrigado. Ando meio desmotivado, depressivo... Talvez eu volte haushuhduhaas

      Excluir

Postar um comentário

Respeito é bom e todo mundo gosta. Caso os comentários sejam ofensivos ou se desviem do assunto, os moderadores tem todo o direito de removê-los.

Postagens mais visitadas