Breaking News
Loading...
domingo, 13 de abril de 2014

''Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.''
Mateus 5:13


A oração do Pai nosso nos diz assim: Venha o Teu reino! (Mateus 6:10)

Jesus veio trazer para nós um reino diferente de todos que já existiram, Ele trouxe do céu para terra.
E este reino é maior e mais poderoso do que todos, então Jesus começa dar a visão de como seria ele: “Pessoas que vivessem de tal forma ao ponto de constranger a sociedade humana com um profundo impacto, forçando até mesmo sem palavras, sem alardes, pressões ou manipulações, a que o mundo glorificasse o Pai que está nos céus”.


O que chama a atenção é que naquele tempo existiam grandes grupos religiosos, vivendo cada um seu jeito e modo, vidas secas e ocas, palavras frias e mortas, uma religião falida: pessoas cheias de motivações e desejos religiosos, mas vazios de Deus. O pior problema de muitas religiões é que elas têm falado muitas coisas, pedido para faça muito e exigido das pessoas absurdos, mas Deus está longe e os corações dos seus seguidores estão vazios, porém, suas costas estão pesadas porque carregam essa religião.

Por exemplo:
Essênios – comparados aos monges, viviam as margens do Mar Morto e exigiam que vivessem separados do mundo, dizendo ser a separação do bem e do mal, os que não aceitasse esse modo de vida estava condenado ao juízo.

Fariseus – que diziam ser os melhores, eles queriam ser tão perfeitos que acabaram caindo num mundo de fantasias, fantasiando seu corpo externo:
Numa passagem bíblica Deus disse: Guarda a Palavra na tua cabeça – eles amarravam uma caixinha de couro com um pedaço da Lei dentro e colocava na testa. Põe a minha Palavra no teu braço direito – também amarravam caixas ao braço contendo a Palavra. Com isso eles queriam mostrar que faziam à vontade de Deus. Foi então que Jesus bateu forte contra eles chamando de sepulcros caiados: belos por fora, mas por dentro mortes, falam e não cumprem, maltratam e exploram as pessoas.

Saduceus – compostos por sacerdotes, que tinham a responsabilidade de cuidar do culto, trabalhavam dentro do templo fazendo cerimônias e os sacrifícios. Consideravam superiores e especiais, que não tinham contato com as pessoas, trancados numa prisão religiosa.

Surge Jesus, neste ambiente religioso, não procura nenhum desses grupos, nem se dirige a uma platéia formada por essênios, fariseus e saduceus, Ele escolhe uma platéia de gente que não tinha esse “pedigree”, que não carrega uma fachada, gripe ou marca religiosa, mas gente tão comum, como: pescadores, cobradores de impostos, prostitutas, gente simples que vem de toda parte, doentes, angustiada, oprimida, gente de todo tipo. Jesus olha para aquelas pessoas, assim como olhou para nós, e consegue enxergar o que ninguém mais vê, enxergando um potencial que só Deus consegue ver!
Jesus olha para aquela gente que não tinha nome conhecido, gente sofrida e desprezada, com problemas, sem qualquer prestígio e diz: Vós sois o sal...

Só Jesus pode olhar para um grupo de anônimos e indigentes e dizer: Vós sois o sal... Jesus estava querendo dizer: Vou transformar vocês naquilo que vai dar gosto para o mundo, jogar uma pitada de Deus neste mundo, e conto com vocês para serem esse tempero.  

Somente Jesus pode olhar para você e te compreender, nem pai ou mãe, namorado ou amigo, são capazes de nos aceitar totalmente, sempre tem algo em nós que não agrada. Só que Jesus nos aceita como somos, a única coisa que Ele não aceita é o pecado!
   
O que é ser sal fora do saleiro?
Quando Jesus disse ser sal da terra, não estava se referindo a terra que nós plantamos, mas a sociedade, o mundo a fora. O ambiente alvo que deve ser impactado é o mundo. No entanto, Jesus disse: Não peço que os tire do mundo, e sim que os livres do mal; santifica-os na verdade, a Tua palavra é a verdade; assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo – João 17:15.

Vamos viver num ambiente totalmente diferente do nosso, não para misturar com ele e perder o nosso sabor, e sim para transformar.
Jesus está dizendo: que a nossa vida tem que ter o sabor que o mundo não experimentou algo fantástico, ser o gosto para o desgosto dessa terra.

Agora, se o sal fica com gosto da terra ele torna insípido (sem sabor), e não passa de um monte qualquer, igual a todos. Sal só é sal com o seu sabor inconfundível.

1-    Sal – para levar gosto ao desgosto da terra.
2-    Sal – fora do saleiro, na terra = no mundo.

E por fim, Jesus não diz: “Você é o sal”, e sim: “Vós sois o sal”. Isso é plural, comunhão, amizade, companheirismo.
Uma andorinha não traz verão, porém, uma revoada de andorinhas anuncia um novo tempo.

Retirado do blog: sandrocalhiari.blogspot.com.br


0 comentários:

Postar um comentário

Você tem plena liberdade para comentar. Só siga algumas regras:

NÃO serão aceitos comentários que:

→ Forem desagradáveis ou conterem insultos e xingamentos;
→ Desviarem do assunto;
→ Contiverem LINKS, SPAM, endereços eletrônicos;
→ Usarem CAPS em excesso;
→ Conterem racismo, preconceito e intolerância religiosa.
→ Eu peço aos meus leitores que se inscrevam no blog, na opção "Participar deste site'', para que o avatar de vocês
apareça quando vocês fizerem seus comentários.
Não estou mendigando seguidores é só um pequeno aviso.