Breaking News
Loading...
quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Analisemos um texto do apóstolo Paulo onde ele declara ser impossível alguém se salvar se não houver quem pregue. Ele escreveu:
“Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas!” (Romanos 10:13-15).

Encontramos aqui uma sequência de passos, na forma de escada, cujo topo é a salvação e cujos degraus básicos são o envio de mensageiros e sua pregação, observe:
1.      Mensageiros são enviados.
2.      Mensageiros pregam.
3.      Pessoas ouvem.
4.      Pessoas creem.
5.      Pessoas invocam o nome do Senhor.
6.      Pessoas são salvas
Em outra de suas cartas o mesmo apóstolo declara:
“Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura da pregação. (1 Coríntios 1:21).

A sabedoria humana é incapaz de chegar ao conhecimento de Deus, mas Ele se agradou em salvar aqueles que creem por meio da loucura da pregação. A pregação não salva, a salvação nos é concedida pela graça e obtida pela fé em Jesus, por isso Deus salva os que creem. Mas como crer? Através da pregação. Ela é o instrumento de salvação, pois leva a Palavra de Deus que é “viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração” (Hebreus 4:12). A pregação, embora desrespeitada e escarnecida por muitos, é o instrumento escolhido por Deus para que os homens creiam e sejam salvos.

Deus seja louvado!

0 comentários:

Postar um comentário

Respeito é bom e todo mundo gosta. Caso os comentários sejam ofensivos ou se desviem do assunto, os moderadores tem todo o direito de removê-los.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.